Monitoramento

 

No gerenciamento do aterro, além das rotinas operacionais, a Braseco mantém um programa de monitoramento que atende aos quesitos legais do licenciamento ambiental:

Controle da avifauna - O Programa de Monitoramento e Controle da Avifauna no Aterro Sanitário Metropolitano de Natal, em Ceará Mirim/RN, tem o duplo objetivo de, por um lado, auxiliar no controle das aves indesejáveis nas imediações das instalações deste empreendimento, de forma a não contribuir no potencial risco de acidentes entre aves e aeronaves no futuro Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, e por outro lado, estudar seus possíveis efeitos na comunidade de aves silvestres da sua área de influência direta. O Programa de Monitoramento e Controle teve início durante a fase préoperacional do Aterro Sanitário, em abril de 2004, havendo continuado ininterruptamente até a atualidade.

Monitoramento de Recalques - em diversos níveis de expansão da área de resíduos, são instalados após o encerramento das atividades, diversos pontos de verificação de deslocamentos, tanto verticais quanto horizontais de forma a determinar a evolução das deformações no maciço. Tal fenônemo é muito comum para esse tipo de empreendimento, mas que deve realizar o acompanhamento para as devidas ações corretivas se necessário, além de ser um instrumento de manutenção da cota de projeto do aterro.

Monitoramento das águas subterrâneas - tem por objetivo avaliar e monitorar o perfil químico, físico e microbiológico da água dos poços piezométricos que compõem o sistema de monitoramento de águas subterrâneas do aterro sanitário, oferecendo alternativas para a melhor manutenção dos ambientes aquáticos, buscando garantir uma relação equilibrada entre homem e o meio ambiente.

Registro das condições climáticas - a Braseco mantém em sua unidade, uma estação meteorológica que monitora e armazena dados climáticos como, pluviometria, evapotranspiração, direção e velocidade dos ventos, pressão atmosférica, dentre outros, com objetivo de avaliar constantemente dispersões de odores e a interferência da pluviometria na condução do sistema de tratamento de percolado, já que a chuva tem interferência direta na produção de chorume.

Monitoramento do sistema de lagoas - a Braseco dispõe de um sistema de tratamento de percolado, denominado "circuito fechado", ou seja todo o chorume gerado na decomposição do resídio disposto no aterro passa por um sistema de tratamento por lagoas e é retornado às próprias células, evitando assim descarte na natureza. Portanto é fundamental ter o conhecimento do volume gerado e suas características físico, quimica e biológica, dando ainda um maior conhecimento do tipo de material que disposto nas células, ou seja ou resíduos classe II.